Cuidados com a piscina que evitam focos da dengue

18 de março de 2016 Mais dicas 0 Comments

Todos sabem que água parada, ou sem tratamento, é o local ideal para o mosquito da dengue. Por isso, é sempre importante tomar cuidados básicos para evitar focos de proliferação. Ter uma piscina em casa pode ser muito bom e divertido. Mas, se mal cuidada, pode se transformar em uma grande vilã. Nesse sentido, preparamos algumas dicas fundamentais para cuidar da sua piscina e evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypt.

1. Capa

Cobrir as piscinas com capas protetoras é uma medida necessária, para evitar que caia sujeira, folhas, insetos e galhos dentro da água. Mantenha ela sempre coberta quando estiver fora de uso.

2. Cloro

A presença do cloro evita que os ovos do mosquito Aedes aegypti eclodam. Mas só o uso do produto como forma de combate a dengue não garante 100% de eficiência. Outra medida importante é limpar a borda da piscina com bucha ou vassoura, pois quando a piscina está tratada e limpa impede que os ovos sejam depositados.

No verão, é necessário colocar um pouco de cloro todos os dias. No inverno, período em que a piscina não é utilizada, deve ser colocado uma vez por semana.

3. Filtragem

A água deve ser filtrada todos os dias, pois não pode ficar parada. O motor deve ser ligado por um período de quatro a oito horas, de acordo com as instruções do fabricante do filtro. É preciso tomar cuidado também com a limpeza de resíduos, materiais e a remoção de folhas e sujeiras.

4. Nível de pH

Tenha sempre em casa um kit de verificação dos níveis de pH. Os mais tradicionais são compostos por tiras de papel de Tornassol que, contendo uma tintura orgânica, muda de cor quando em contato com a água, indicando qual o nível de pH da piscina. Existem também no mercado equipamentos eletrônicos próprios para o efeito. Deve-se verificar o nível de pH da piscina pelo menos duas vezes por semana.

5. Aspiração

O passo final dos cuidados com a piscina é a aspiração. Ligue o aspirador e aspire lentamente o fundo da piscina. Dê atenção especial aos cantos, onde se acumula mais resíduos. Cuide para que a sujeira não se acumule na mangueira e ao retirá-la ela caia na piscina sujando-a novamente.

No inverno, a ideia de tirar toda a água porque a piscina fica quase sem uso não é aconselhada. Ela pode rachar ou trincar, já que as paredes ressecam e podem ocorrer vazamentos na hora de encher novamente.

As dicas não valem apenas para as piscinas de concreto. Desde as menores e portáteis, até as maiores, de fibra ou vinil, devem receber os devidos cuidados.

Mesmo seguindo todas as recomendações, é importante ressaltar que a piscina não é o único ponto vulnerável de formação de mosquitos Aedes Aegypt. Deve-se, portanto, ter atenção redobrada em todos os focos de acúmulo de água parada: baldes, latas, garrafas, vasos de planta, caixas d’água, pneus, entre outros.